Assistir Thor: Ragnarok Online

Assistir Thor: Ragnarok Online

Assistir Filmes Online Thor: Ragnarok – Sinopse

Thor é preso do outro lado do universo, sem o seu martelo poderoso e encontra-se numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok – a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana – que se encontra nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a implacável Hela. Mas, primeiro precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores,que o coloca contra um ex-aliado e companheiro Vingador – Hulk.

Ver o Filme Thor: Ragnarok (2017) – Detalhes e críticas

Lançado em 2011, Thor tinha uma pegada de humor, romance e ação bem equilibrada, além de uma trama shakespeariana que trabalhava bem a relação entre os irmãos Thor e Loki. Era um bom filme de origem que se encaixou bem com o primeiro Vingadores. Dois anos depois foi a vez de Thor: O Mundo Sombrio chegar aos cinemas. E o resultado não poderia ser mais catastrófico, contando com uma trama genérica e um vilão que provavelmente você nem lembra mais. E fez bem de ter esquecido.

Levou quatro anos para o personagem ganhar um novo filme solo. E valeu a pena esperar. Após os sucessos indies O Que Fazemos nas Sombras e Uma Fuga Para A Liberdade, o diretor Taika Waititi ganhou a oportunidade de comandar seu primeiro blockbuster. E o resultado foi bem satisfatório.

Após a demissão de Edgar Wright de Homem-Formiga, parecia que a Marvel não estava com a cabeça muito aberta para mentes criativas, queria mais o básico. Felizmente, isso começou a mudar com James Gunn em Guardiões da Galáxia e é ratificado aqui. Waititi teve a liberdade de fazer de Thor: Ragnarok um filme repleto de humor e personalidade.

Neste sentido, é interessante notar que Thor 3 é quase uma comédia, uma vez que boa parte das piadas são feitas por seu protagonista. Em determinado momento, há até um exagero no humor, com diálogos presentes apenas para levantar a piada. Por outro lado, há uma ótima interação entre os personagens, gerando cenas marcantes entre Thor e Loki e, principalmente, entre Thor e Hulk.

No início da trama, vemos Thor e o irmão voltando para a Terra para procurar o pai, Odin, numa continuação do que aparece na cena pós-crédito de Doutor Estranho. A participação de Benedict Cumberbatch é simpática, servindo mais para unir o universo Marvel, além de oferecer uma simpática referência a Sherlock.

Após isso, acompanhamos o surgimento de Hela e acabamos com Thor em um planeta estranho sendo obrigado a enfrentar o ex-amigo de trabalho Hulk. A vilã vivida por Cate Blanchett é visualmente encantadora, mas falta um pouco de profundidade. A atriz tem uma presença em cena incrível, surgindo realmente ameaçadora, mas sua trama é pouco explorada. Por outro lado, a presença de Hulk é um dos pontos altos da produção. O personagem é realmente aproveitado pela primeira vez no Universo Marvel, não sendo apenas uma máquina de destruição.

Chris Hemsworth e Tom Hiddleston seguem com uma ótima química em cena e agora surgem mais divertidos do que nunca. Por sinal, Loki está um personagem cada vez mais complexo, não sendo somente aquele grande vilão, ser todo poderoso. Está claro o efeito que as derrotas passadas causaram nele. A dupla conta com a companhia de Mark Ruffalo e Tessa Thompson na formação de uma nova equipe do universo Marvel.

Outra novidade no time é a presença de Jeff Goldblum como o Grão Mestre, uma figura quase como Willy Wonka, etéreo, colorido e por vezes ameaçador. Destaca-se ainda duas participações especiais pra lá de divertidas e surpreendentes.

Se por um lado o longa exagera no humor, por outro oferece cenas de ação bem competentes. Sem querer alfinetar o universo DC (mas já alfinetando), faz muita diferença o fato da maioria das cenas de ação se passarem durante o dia. Isso fica claro no confronto final, que é praticamente a mesma luta genérica de sempre, mas que ganha força ao oferecer diversos elementos que o espectador pode aproveitar. Não é apenas aquele borrão.

Em companhia do diretor de fotografia Javier Aguirresarobe, dos montadores Zene Baker e Joel Negron, e do compositor Mark Mothersbaugh, Taika Waititi criou uma experiência quase oitentista. Não é nostálgico como Guardiões, mas esteticamente remete muito aos anos 80, especialmente Tron, na forma como trabalha uma experiência sonora e visual que é quase uma balada eletrônica. A diferença é que é mais psicodélico.

Além da trilha original, destaca-se ainda a seleção musical, que vai de “Immigrant Song” até “Pure Imagination”, tema de A Fantástica Fábrica de Chocolate – alguém falou em Willy Wonka? Com relação à clássica música do Led Zeppelin, o uso é bem eficiente nas cenas de ação, embora lembre muito a trilha de Mulher-Maravilha.

Thor: Ragnarok tem como principal mérito o fato de não se levar a sério. E isso não tem relação nenhuma em ser mal feito. Apenas sabe que sua função básica é entreter e desenvolver o universo. Agora é esperar por Vingadores: Guerra Infinita.

Falando nisso, o filme conta com duas cenas pós-crédito. A primeira é um importante elo com o próximo longa do grupo de heróis. Já a segunda é apenas uma piadinha pra lá de esquecível.

Assistir Thor: Ragnarok – Megafilmes

Seu site para assistir Filmes Online, um portal online para ver lançamentos de Filmes e Séries totalmente grátis em alta definição no conforto de sua casa. Parece legal né? Se já estiver pronto para assistir online Thor: Ragnarok é só clicar no Play acima e curtir. Não esqueça de compartilhar com os seus amigos e deixar um comentário aqui embaixo nos dizendo o que achou do filme Thor: Ragnarok.